top of page
  • Foto do escritorDiogo Oliveira

Caminhada Deslumbrante até à Praia do Ribeiro do Cavalo, Sesimbra | Caminhadas & Aventuras

Uma das praias mais bonitas e ainda por cima localizada a menos de uma hora de Lisboa. A praia não possui um areal muito extenso que desaparece praticamente todo durante marés muito altas. Possui muitas formações rochosas que ficam perfeitas nas fotografias, e também uma zona com rochas em vez de areia. As escarpas podem ser perigosas para explorar, mas do lado direito existe uma pequena escada esculpida na rocha que permite subir um pouco mais alto para ganhar novos ângulos. A sugestão é chegar muito antes da sessão para conseguirem explorar toda a praia e definirem onde querem estar quando chegar o pôr-do-sol.



QUANDO VISITAR

Esta praia é das mais procuradas no verão, à alguns anos atrás era de esperar encontrar a praia praticamente deserta pois eram poucas as pessoas que a conheciam, no entanto, a partilha nas redes sociais e em algumas revistas de viagens acabou por torná-la mais famosa e consequentemente acaba por encher demasiado no verão. Por isso, a melhor recomendação é visitá-la em dias mais nebulosos, como pouco calor para que não apanhe a praia cheia de veraneantes. Deve ter atenção ao estado do mar, e às marés. O ideal é que a maré baixa coincida com o pôr-do-sol.


DETALHES

Ponto de Partida: Estacionamento junta da pedreira abandonada

Distância a Percorrer: Cerca de 7 km

Altura do ano: Primavera e outono

Melhor hora do dia: Pôr-do-sol

Material Recomendado: Máquina + objetiva grande angular e normal (entre 10mm e 200mm)

Extras: Consultar a tabela de marés


COMO CHEGAR

O acesso à praia é complicado e deve ser feito com o calçado apropriado, evitem fazer o percurso em dias de muito calor, para lá chegar pode colocar no GPS as seguintes coordenadas: 38°25'58.6" N 9°07'44.8" O ou 38.432956, -9.129110, ou seguir o link para o google maps.


PERCURSO RECOMENDADO

Assim que estacionamos o carro temos de seguir pelo caminho da pedreira, um pouco mais à frente vão ver algumas marcas nas rochas a indicar o percurso correto à nossa esquerda. Na verdade a ideia é caminhar ao longo de uma antiga ribeira pelo meio da vegetação. Quando esta ribeira termina numa zona mais plana verificamos que o percurso continua à nossa direita e devemos seguir o mesmo. Não existem muitas marcas, devemos confiar um bocado no percurso marcado no chão. O caminho vai começar a curvar à esquerda até termos uma passagem onde antigamente era necessário fazer um bocado de escalada mas agora existe um caminho mais simples à direita, e que é um alívio para quando levo o equipamento de snorkelling (em especial os 8kg de chumbo). Depois destas descidas todas voltamos a estar numa ribeira, seguindo a ribeira vamos dar à praia, mas se seguirmos em frente iremos dar à praia da Cova Mijona. Ora pelo percurso normal voltamos a deparar-nos com uma parede grande, onde mais uma vez era necessário fazer escalada. Mas os constantes visitantes acabaram por cortar a vegetação e abrir um novo caminho até ao areal e a uma das praias mais bonitas de Portugal.



A MINHA EXPERIÊNCIA

A praia pode e deve ser fotografada ao longo da descida, claro que nunca existe vontade de o fazer, pois implica tirar o material, fotografar e voltar a guardar tudo. Mas pelo menos de telemóvel merece umas fotografias do topo. Já no areal existem muitas hipóteses para fotografar, a zona à vossa direita é rochosa e podem inclusivamente subir a falésia para fotografar de um local mais elevado. No sentido oposto temos muita areia e algumas rochas assim meio perdidas que podemos utilizar na composição das fotografias. Um dos maiores problemas é mesmo aquela falésia super amarela, que se não tivermos cuidado vai queimar as altas luzes todas, por isso, tenham isso em consideração. De resto, aproveitem. Tanto para fotografar, como para banhos ou se gostarem de animais para ir ver os peixinhos e outros animais aquáticos que por aqui aparecem.



QUEREM APRENDER MAIS SOBRE FOTOGRAFIA?


Quando estamos a fotografar é fácil perder a noção do que devemos ou não devemos concentrar, sejam as espécies mais comuns ou as mais raras, seja tentar fotografar de dia ou de noite. Criei alguns artigos para mostrar o que podem procurar em certos locais para fotografar.


Fique a saber que espécies fotografar durante a sua visita à Tapada de Mafra: 3 Espécies para Fotografar na Tapada de Mafra  


Conheça quando fotografar diversas espécies de aves no litoral de Oeiras: 4 Espécies para Fotografar no Passeio Marítimo de Oeiras



VEJAM AINDA OS MEUS VÍDEOS NO YOUTUBE

Criei vários vídeos sobre fotografia de vida selvagem onde explico como fotografar diversas espécies e ainda algumas das melhores técnicas fotográficas. Desde fotografar aves costeiras a fotografar o bonito guarda-rios, é uma pequena playlist que espero que desfrutem e deixem um like nos vídeos.



Sabiam que podem aprender mais sobre fotografia comigo no campo?


Espreitem a página da ONWILD para ficar a par de todos os destinos, eventos e workshops! Podem ainda aprender mais sobre fotografia e ficar a conhecer outros países.

1 visualização

コメント


bottom of page